Sem Chainlink os smart contracts são pássaros presos na gaiola.

Bruno Nunes
Postado por Bruno Nunes
Categorias Blockchain e Criptomoedas
Data 06/11/2019
Comentários 0 comentários

Se eu tivesse que vender Chainlink em uma frase, seria: “Sem Chainlink os smarts contracts são pássaros presos na gaiola”.

De que adianta saber voar?

Chainlink visa viabilizar a ligação entre a blockchain e dados coletados externamente, como também ligar os smart contracts a meios usuais de pagamentos.

Nesse artigo eu vou supor que você já sabe o que é blockchain.

Mas resumindo de forma prática, a blockchain possibilita a construção de uma rede de trocas de informações seguras sem a necessidade de um intermediário. A própria rede e seus usuários são responsáveis por assegurar que toda a troca de informação ali dentro é verdadeira.

E o que são os smart contracts ou contratos inteligentes?

Os smart contracts são contratos gerados dentro da blockchain com pré configurações que estabelecem como será feito uma troca.

Por exemplo, eu programo um smart contract para depositar 100 unidades de XYZ COIN na carteira de quem depositar dentro do smart contract 1 ethereum.

Você consegue entender que se você for essa pessoa que depositou 1 ethereum dentro desse smart contract, você receberá com 100% de certeza 100 unidades de XYZ COIN sem que NINGUÉM precise conferir essa transação? Ela foi completamente automática e segura.

E qual o problema desse sistema?

Ele não consegue se comunicar com dados externos. Ele apenas compreende dados dentro da blockchain.

E o que seria um dado externo?

Vamos a um exemplo criado por mim para facilitar a compreensão (ele possui varias falhas, é só para fins educacionais e didáticos).

Imagine uma empresa XYZ na blockchain que queira dar uma solução, tirando a necessidade do intermediário (Airbnb por exemplo), ao aluguel de casas para temporada.

Essa empresa irá criar a XYZ COIN para que o valor ali dentro possa ser trocado.

A XYZ irá fornecer a estrutura dentro da blockchain que vai possibilitar uma pessoa que quer alugar uma casa a fechar o negócio direto com o proprietário.

Mas…

  1. Como saber se o proprietário realmente forneceu a casa certa na data correta?
  2. Como fazer para que a liberação do dinheiro seja feita somente se tudo que foi prometido foi entregue?
  3. Como enviar o dinheiro de forma simples para a conta bancaria do locatário?

Para solucionar esses problemas surgiu Chainlink:

  1. Coloque uma fechadura wifi na casa.
  2. Conecte essa fechadura a um ‘node’ de Chainlink via API.
  3. Insira as informações coletadas pelo node dentro do Oracle de Chainlink e conecte o Oracle à blockchain da empresa XYZ.
  4. Programe o smart contract para fornecer uma senha única da fechadura para quando o cliente colocar uma quantidade pré determinada pelo proprietário de XYZ COIN dentro do contrato.
  5. Só o cliente receberá a senha. Nem o proprietário possui ela. A segurança da blockchain garante isso.
  6. Quando a senha foi inserida na fechadura da casa a quantidade pré estabelecida de XYZ COIN será transferida para outro Oracle de Chainlink, que irá por meio de um outro node converter essa quantidade para dólar e;
  7. Enviará o dinheiro para conta bancária do proprietário.

Seria lindo, certo?

Chainlink

Se você entendeu até aqui, pode ter se perguntado –  Mas como confiar nos dados externos coletados? Como saber se são verdadeiros?

Chainlink tem vários ‘nodes’ dentro do Oracle. Esses nodes podem ser integrados a qualquer API externa. Por exemplo a API do seu website.

Cada node, ou seja, cada ligação vai ter uma reputação e também, para que a integração passe a valer, será necessário o deposito de um seguro (colateral).

Esse seguro é depositado em LINK, a moeda de Chainlink.

Caso a informação coletada pelo node não seja correta, o depósito não é devolvido.

No decorrer dos anos, quanto mais reputação os nodes tiverem, maior a segurança da rede e menor o valor necessário do seguro.

Sendo eu, um entusiasta de blockchain e smart contracts, não consigo deixar de vibrar pela tecnologia de Chainlink.

E aqui eu ressalto:

Isso não é uma posição ou sugestão de investimento. Outras tecnologias similares à Chainlink podem surgir e desbancar esse projeto.

Mas independente de quem será o ganhador lá na frente, eu vibro a cada projeto que nos leva um passo mais perto da adoção da tecnologia da blockchain pela massa.

Quanto antes essa adoção vier, mais rápido a desigualdade social irá diminuir. E esse vai ser o assunto de um outro artigo.

Compartilhe:
Bruno Nunes
Bruno Nunes
Formado em administração de empresas pela Universidade Estadual de Maringá, MBA em gestão comercial pela FGV e apaixonado pelo mercado financeiro desde 2007. Investidor e swing trader desde 2007, Day trader desde 2014 e Nômade desde 2016.
Anterior É possível viver de Day Trade? 05/08/2019
Carregando comentários...